30.8.16

Somos o que somos


E não há nada que se possa fazer quanto a isso

E conforme o tempo caminha
Dos outros cada vez mais ele nos distancia

Nos fundimos em nós mesmos
Ainda que isso nos assuste
E cause estranhamento

Mas esta condição que se consolida
Pode tornar-se amigável
E ser vivida de forma bastante tranquila
Basta que nos acostumemos

29.8.16

Das pedras que me atiram


Recolho as que me acertam
E vou enchendo os bolsos

Assim que as tenho em quantidade
Lapido-as com cuidado
Despertando-lhes uma a uma as qualidades

Aí monto um colar
E passo a exibir seu brilho
Pendurando-as no pescoço

26.8.16

Foi só quando finalmente entendi


Que era da tua boca que saia 
A rajada de balas
Sempre uma mesma palavra: 
Acabou, acabou, acabou!
É que me vi atingido
E sem conseguir me defender
A fala ficou-me engasgada

E agora mortalmente ferido
Diante da porta fechada
Vendo o vai e vem
Da tua chave pendurada
Com a certeza de ter te perdido
Meus impropérios todos viraram apenas
Uma poça vermelha de lágrimas

25.8.16

Altiva criatura


Ainda desfila imponente
No meio da Paulista
Sem reparar em como atrapalha
A rotina apressada dos ciclistas
Sob o sol de meio-dia
Preferindo que nunca chegue
A quarta-feira de cinzas

Olhando pro nada
Embarcada no que alucina
Rosto deformado na maquilagem escorrida
Arrastando os farrapos de sua fantasia
Grunhindo incompreensíveis versos
Do samba enredo de alguma escola querida
Eterna vencedora na avenida

24.8.16

Poesia


É um noturno de Chopin garimpado no vácuo
Onde tudo principia

É um Chaplin mudo em sessão exclusiva
Projetado no escuro atrás da retina

É uma lied de Schumann represada na garganta
Quando a boca silencia

23.8.16

O amor é o grande tema da poesia


E por mais que se explore
Esmiuce
Desdobre
Mesmo que lhe dissequem as entranhas
Será sempre misterioso
Não há como esgotar-lhe as características

Também é rebelde
Amorfo
Pegajoso
Imprevisível
Engenhoso
Não pode ser explicado por especialistas

Não aceita discriminação
Despreza conceitos
Como maioria, minoria
Cultura e religião
Independe da vontade
Goza de autonomia

Não se prende a expectativas
Nunca oferece garantias
É fruto do passado
Desconhece o futuro
Vive o momento
Único tempo que valoriza

22.8.16

Poemas são braços


Que quando abraçam
Podem tanto acalentar
Como asfixiar os desejos
De um sonhador solitário

Versos são mãos

Que quando estendidas
Podem tanto estancar a hemorragia
Como socar a face ferida
Daquele frágil que precisa ser tratado

Palavras são dedos munidos de unhas afiadas

Que quando usadas
Podem tanto acariciar
Como retalhar os sentimentos
De quem ama e deseja ser amado

19.8.16

A sensação que ficou


É que terminamos sem perceber
Que o que primeiro acabou
Era muito menos do tudo que havia
E ainda precisávamos conhecer

É que faltou-nos visitar mais os sentimentos
E não ter apenas para poder dizer: temos
Mas usar o que foi guardado
E não deixar que aprodrecesse com o tempo

18.8.16

Ambos vencemos


Qundo em nossa guerra particular
Um de nós se serve dos lençóis
Como bandeira da paz
Sem desistir de lutar
Mas deixando de brigar

17.8.16

Es lamentable


Que en la vida
Ni siempre hay coherencia
Entre lo que se hace
Y lo que se piensa

Se minha saliva fosse tinta


Teu corpo todo eu pintaria
E reavivria teus tons
Dando demão sobre demão
A cada nova visita

16.8.16

Mon amour


S'il vous plaît
Assurez-vous de me lire
Et donnez votre opinion
Parce que tout ce que je écris
Bien qu'il ne soit pas toujours lié à vous
Il est pour vous et votre appréciation

A taça tombada


Ao lado da cama
Que ainda ressente ao perfume do vinho
Foi esvaziada não sei quantas vezes
Até que transbordasse de sentimentos
O coração daquele que só se acalma
Quando atinge o êxtase

Mas também pode ser
Que o conteúdo tenha sido sorvido
Na tentativa de atenuar a dor
De quem chora lamentando perder
Ou  precisando esquecer
Um grande amor

15.8.16

Saiu dizendo


Que precisava comprar cigarros
E nunca mais foi visto

O estranho é que não fumava
Há décadas estava longe do vício

12.8.16

Time


Water in the river of eternity
That never stops running
Always different water
Although the same element
Ever and only time

Deve existir um lugar


Onde ficam depositados todos os sentimentos (bons e ruins)
Que tivemos ao longo da vida
E que não mais nos acompanham no dia a dia

Um lugar remoto de acesso por mão única
Onde os amores pregressos
Deixem de lado disputas e brigas e convivam em harmonia

Onde tudo já tenha sido resolvido e perdoado
Onde as palavras culpa, ódio e traição tenham sido extintas
Onde o tempo não exista e haja alguma virtude na preguiça

Onde as antigas melhores amizades
Aquelas feito unha e carne
Ainda persistam compartilhando segredos e cumplicidades

Um lugar que abrigue a pureza que perdemos
Que atenue as dores que sentimos
Que guarde bem guardados os nossos prazeres supremos

Um lugar que nos receba de braços abertos
Depois que nossos olhos não mais se abrirem
Onde nos reconciliaremos com o universo e com nós mesmos

E se houver um lugar que possamos chamar de eternidade
Me alegra pensar que lá encontremos
Paz definitiva e felicidade

11.8.16

Para o poeta


O pior que pode acontecer
É não mais questionar
Deixar de se indignar
Parar de sonhar
Conformar-se
E navegar de vez
Na corrente
Do lado mais raso do ser

10.8.16

Quarto


Cúbico recindo
Onde naturezas esféricas
Se reconhecem
Se acomodam
Se acalmam
E deixam o universo
Amorfo e infinito
Do lado de fora

Na confortável penumbra
A tela retangular
E espraiada da cama
Recebe projeções
Bi-dimensionais
Em conformações circulares
E dinâmicas

Para que dancem
Deslizem
Se aproximem
Se excitem
E se interseccionem
Celebrando a vida

9.8.16

Lágrima


Erupción líquida
Caliente solución salina
Surge del dolor o alegría
Cuando la palabra se agota
Pero el alma no silencia

Já que não ligas a mínima para o meu amor


Sejas ao menos benevolente (com este sofredor)
Garantindo o acesso (ainda que sob rígida supervisão)
Ao teu corpo delicioso e quente
Espécime de inigualável constituição
Presente dos deuses
Gerador de meus maiores prazeres
Que me embaralha a mente e expulsa a razão

Peça exclusiva da mais alta joalheria
Ofuscada neste mundo supérfluo e vão
Que deveria existir apenas para minha serventia
Ou para ser vista de longe
Fora do alcance dos brutos e sem noção
Que não sabem dar o devido valor
A uma obra prima de tamanha perfeição

8.8.16

Je dois continuer à vivre


En dépit d'être
Maintenant
Exactement
Dans le minuit
De mon midi

Despejaste sobre mim o teu amor


E tudo mais o que tinhas
Mas excedia em muito
O que sonhei
Ou queria

E agora tiriste e vazia
Sem repor teus estoques
Vivencias
Uma amarga paralisia

Enquanto eu parado aqui no porto
(dia após dia)
Com meus porões abarrotados
Sem conseguir navegar
Com tanta mercadoria

5.8.16

I'm sorry


But I have no time for you
I need to recover my investment
The pain is too long to fade away

Fiquei


Com um universo inteiro
Pra falar
Um bom resto de mundo
Pra te mostrar
Mas como aqui
Não mais estás
Vejo-me preso
Posto a pensar:
Que do alto desta torre
Na Avenida Paulista
Me bastaria abrir a janela
Bater as asas
E voar
Pra ta encontrar
E tudo isso te entregar

4.8.16

Onde o poeta


Enxerga flor
A crítica
Por vezes
Só consegue ver
A titica
Do inseto
Polinizador

3.8.16

Para poder entrar neste coração


O candidato precisa passar por entrevista
Uma minuciosa revista
E vencer todas as barreiras de proteção

Pois caso não venha armado
Com amor ou paixão

Será bloqueado na porta
Tendo que dar meia volta
Sem direito a negociação

2.8.16

Me deste o teu corpo


E foi bom
Pois descobri o prazer

Me deste atenção nos preceitos
Mas menos do que julguei merecer

Só não me deste o que eu mais quis ter
O teu amor por inteiro

(E hoje percebo)
Que não tive nem mesmo um flash de paixão
Ainda que efêmero

1.8.16

Sueño y ilusión son cosas distintas


Soñar no es engañarse
Es creer y desear

Que el deseo que se convertió en sueño
Se puede de facto realizar

Pero la ilusión es una distorcion de la mirada
Un cambio en la realidad en el acto de fantasear

O gato pega o rato


E o leva até seu dono
Para mostrar serviço
Mas não o mata de imediato
Faz questão de mantê-lo vivo

Diverte-se bastante antes
Brinca com o bichinho
Joga-o pra cá
Joga-o pra lá

Deixa-o totalmente confuso
Estressa o coitadinho
Tirando-lhe até as últimas forças
Antes de encerrar seu suplício

E quando a brincadeira perde a graça
Ou a vítima já atinge o ponto pretendido
Acomoda-se confortavelmente no gramado
Para apreciar com calma o petisco

Começa sempre pela cabeçinha do desfalecido
Ainda ontem algo muito parecido aconteceu
Entre o meu cachorro e um passarinho
Esse mundo animal não é mesmo um mimo?

29.7.16

Le vent


Même intense
Il est plus doux
Pour celui qui a refuge
Et seulement entend son gémir